Em Moçambique, língua materna pode contribuir para o desenvolvimento

21 fevereiro 2015

Unesco defende valorização dos idiomas locais; sob lema “educação inclusiva”, Dia Internacional da Língua Materna completa 15 anos; em Maputo, reportagem da Rádio ONU ouve especialistas sobre importância da língua para o desenvolvimento.

Ouri Pota, da Rádio ONU em Maputo. 

Em Maputo, capital moçambicana, a reportagem da Rádio ONU ouviu pessoas sobre a importância de sua língua materna. Este sábado, 21 de fevereiro, celebra-se o Dia Internacional da Língua Materna.

A responsável pela área da Cultura no escritório da Organização da Educação Ciência e Cultura, Unesco, em Moçambique, Ofélia da Silva, afirma que o grande desafio da agência é introdução do ensino da língua bilingue no país.

Educação para Todos 

"Nós acreditamos que usando a língua materna há maior acesso na educação para todos, há maior diversidade linguística, cultural e há promoção da educação para todos sobretudo. Se nós compreendemos os assuntos, as matérias, melhor contribuímos para os desafios do país falando a nossa língua.”

Já o estudante da Universidade Eduardo Mondlane, Abubacar Mutego, adianta que o domínio da língua materna é positiva para a formação do indivíduo. 

“Uma língua materna é janela de um povo, sendo assim as línguas maternas em Moçambique podem trazer uma transformação exaustiva pois, através delas os alunos,  a sociedade no geral buscam um sentimento forte do seu povo, social e culturalo, inclusive agronómico, buscam nas línguas maternas a sapiência da sociedade moçambicana.”

Valorização

Manuel Simbine, ligado ao ensino à distância no Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano em Moçambique é da opinião que deve-se valorizar a língua materna em vários setores.

“Em todos setores um elemento principal é conhecer todo um conjunto de instrumentos de trabalho na sua própria língua que lhe facilitam o contacto com esse instrumento com o ambiente de trabalho. Diferentes setores da sociedade deviam olhar para esta questão da língua materna como um principal elemento e investir nele para o processo de crescimento e desenvolvimento do próprio ser humano, pois precisa deste elemento como base para início de uma caminhada.”

Numa mensagem alusiva ao Dia Internacional da Língua Materna, Irina Bokova, directora- geral da Unesco, diz que é momento de reflexão sobre a importância da língua materna para todos os esforços educacionais, a fim de melhorar a qualidade da aprendizagem e alcançar os que continuam “inalcançados”.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud