Ban “ultrajado” com assassinato de outro jornalista pelo Estado Islâmico BR

Ban Ki-moon discursa na Nova Zelândia. Foto: ONU/Evan Schneider

Ban “ultrajado” com assassinato de outro jornalista pelo Estado Islâmico

Declaração foi feita durante palestra na Universidade de Auckland, na Nova Zelândia; segundo agências de notícias, Steven Sotloff foi decapitado por um militante do grupo; vídeo do crime foi postado na internet. 

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York. 

O secretário geral da ONU afirmou que todos estão “ultrajados” por relatos de “assassinatos brutais” de civis pelo grupo Estado Islâmico, no Iraque.

Ban Ki-moon mencionou a decaptação do jornalista americano Steven Sotloff, anunciada neste 2 de setembro. Ele condenou com “veêmencia todos esses crimes desprezíveis”. O repórter estava sendo mantido refém desde o ano passado na Síria.

Segundo Caso

O chefe das Nações Unidas fez a declaração durante palestra na Universidade de Auckland, na Nova Zelândia, nesta quarta-feira. Este já é o segundo caso de decaptação de um jornalista americano pelo mesmo grupo.

O primeiro foi o do fotógrafo James Foley, cujo assassinato também foi filmado e postado na internet em 19 de agosto.

O secretário-geral afirmou que se recusa a aceitar que comunidades inteiras possam ser ameaçadas por “crimes atrozes” por causa de quem são e no que acreditam.

Aliança das Civilizações

A Nova Zelândia é a última parada de uma viagem oficial de Ban à região. Ele começou pela Indonésia, onde participou de um encontro da Aliança das Civilizações.

Ban disse que a iniciativa foi criada para promover “entendimento genuíno” e ajudar a resolver “problemas fundamentais”, que são causas de muitos conflitos. Ele mencionou a “falta de entendimento mútuo e respeito pelas tradições, crenças e religiões” alheias.

O secretário-geral citou ainda a situação no Oriente Médio, no Iraque, na Síria, e na fronteira entre a Ucrânia e a Rússia, entre outros conflitos atuais.

Ele também disse estar “extremamente preocupado” com o vírus do ebola, e contou que a ONU está inteiramente mobilizada para fornecer tratamento e conter a doença.

Diploma

Ban recebeu da instituição na Nova Zelândia um diploma honorário em reconhecimento ao “valor duradouro” das Nações Unidas.

Ele disse que estas homenagens vêm com responsabilidades para que ele faça mais pela paz e segurança, direitos humanos e desenvolvimento.