ONU elogia escolha de duas mulheres para negociar paz na Colômbia BR

ONU elogia escolha de duas mulheres para negociar paz na Colômbia

María Paulina Riveros e Nigeria Rentería farão ponte entre autoridades do país e rebeldes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, Farc; conflito que começou na década de 60 já matou 600 mil pessoas.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

As Nações Unidas elogiaram a decisão da Colômbia de nomear duas mulheres para as equipes de negociações de paz com rebeldes no país.

Em comunicado, a ONU Mulheres “aplaudiu a escolha do presidente Juan Manuel Santos de levar mais equilíbrio de gênero” ao processo de paz.

Ausência

As duas mulheres, María Paulina Riveros e Nigeria Rentería, passaram a fazer parte das equipes que negociam com o governo colombiano e os rebeldes da Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, Farc.

O conflito na Colômbia que começou na década de 60 já matou 600 mil pessoas.

Segundo a ONU Mulheres, a decisão de nomear duas negociadoras é uma resposta também aos pedidos, feitos há vários anos, por organizações  femininas na Colômbia. De acordo com a entidade, a presença de Riveros e Rentería é um contraste com a situação de ausência de mulheres nas negociações até agora.

Mulheres e Crianças

As conversações entre a Colômbia e as Farc, que ocorrem em Havana, Cuba, pretendem chegar a um acordo final para transformar a Farc num movimento político, desarmando assim o grupo guerrilheiro.

A participação política é o Segundo item no Acordo Geral para o Fim do Conflito e Consolidação de uma Paz  Duradoura.

A ONU Mulheres encerrou o comunicado afirmando que o conflito na Colômbia tem custado caro a mulheres e crianças no país.