Unodc quer maximizar impacto de apreensões da droga em portos do mundo

Unodc quer maximizar impacto de apreensões da droga em portos do mundo

Escritório da ONU diz que programa de controlo de contentores confiscou mais de 11 toneladas de cocaína, 17 de canábis além de centenas de toneladas de químicos para produzir drogas ilícitas em 2012.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Escritório da ONU sobre Drogas e o Crime, Unodc, anunciou a intenção de aumentar unidades de controlo portuário e outras operações, através de uma presença maior em vários países e regiões.

Em 2012, um programa de controlo de contentores nos portos confiscou mais de 11 toneladas de cocaína e 17 toneladas de canábis nas nações em que está ativo, defende a entidade.

Artigos Contrabandeados

Como parte da iniciativa, 434 toneladas de químicos usados para produzir drogas ilícitas também foram apreendidos, além de artigos contrabandeados como cigarros, espécies ameaçadas e produtos falsificados.

Desde 2006, a iniciativa é implementada em parceria com a Organização Mundial das Alfândegas em 41 países.

Esquemas

O Unodc diz que, nos seis anos de existência do programa, pode ter havido uma mudança em esquemas de tráfico, rotas e opções de portos pelos traficantes. Por isso, pretende que tais tendências venham a ser o foco da iniciativa no futuro.

Para o escritório, os fracos sistemas de aplicação da lei e de gestão de fronteiras são explorados por grupos do crime organizado transnacional nos portos e mares de todo o mundo.

Globalização

O Unodc considera que o ambiente do comércio globalizado traz responsabilidades ao desafiar os Estados no controlo do fluxo ilegal de mercadorias. Estes são confrontados por problemas que incluem volumes crescentes de comércio marítimo, recursos limitados e  pressão para economizar.

Os desafios também incluem diversos processos para automatizar os portos, métodos e sistemas de aplicação da lei, competição por resultados  e a simplificação de procedimentos.