Grupo vai lançar estudo sobre uso de empresas de segurança pela ONU

Grupo vai lançar estudo sobre uso de empresas de segurança pela ONU

Será analisado o uso de companhias privadas militares e de segurança por órgãos das Nações Unidas em todo o mundo; comité vai apresentar resultados à Assembleia Geral no próximo ano.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O Grupo de Trabalho das Nações Unidas sobre o uso de mercenários anunciou esta segunda-feira, o início de um estudo sobre a utilização de companhias privadas militares e de segurança pelos órgãos da ONU em todo o mundo.

O especialista em direitos humanos Anton Katz, que preside o grupo, disse em Genebra aguardar a análise do uso destas empresas pela ONU e contribuir para o desenvolvimento de uma política coerente da organização sobre o tema.

Somália

O painel de cinco especialistas irá apresentar os resultados do levantamento à Assembleia Geral em 2014.

Em reunião, na semana passada, a equipa discutiu os resultados de uma visita recente à Somália e às Honduras. Foram tratados também os progressos de iniciativas sobre o aumento do uso de companhias privadas militares a operar no mercado internacional.

Síria

O grupo de trabalho notou com especial preocupação a referência feita, pelo representante permanente da Síria no Conselho de Direitos Humanos, sobre o agravante papel dos mercenários no conflito do país.

Foram avaliadas ainda as posições do Bahrein, Bósnia-Herzegovina, França, Alemanha, Gana, Ilhas Maurícias, Polónia, Suíça e Togo sobre informações relacionadas a pessoas acusadas de crimes mercenários.

O grupo de trabalho tem o mandato de estabelecer uma base de dados sobre estes acusados.

*Apresentação: Denise Costa.