Enviado da ONU para o Sahel aborda crise em países da região

Enviado da ONU para o Sahel aborda crise em países da região

Romano Prodi realizam consultas regionais para criar uma estratégia integrada; operação envolve angariação de fundos, mobilização e criação de um fundo humanitário para a região.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A Cote d´Ivoire e a Nigéria marcaram, esta segunda-feira,  a primeira etapa do périplo regional do enviado especial do Secretário-Geral para o Sahel, e o representante especial do Secretário-Geral para a África Ocidental.

Em comunicado, a ONU refere que Romano Prodi e Said Djinnit realizam consultas regionais, como parte do trabalho de desenvolvimento de uma estratégia humanitária integrada. Na quarta-feira, ambos visitam o Senegal.

Desafios

A agenda inclui encontros com chefes de Estado, representantes das agências da ONU, fundos, programas comunitários além de grupos da sociedade civil e organizações não-governamentais.

Na terceira deslocação desde a sua nomeação, o antigo primeiro-ministro italiano também deve discutir os “desafios que afetam a região do Sahel e formas de solução.”

Preocupação

Em Novembro, Prodi pediu que a comunidade internacional demonstre  maior preocupação com o Sahel, por estar a  enfrentar uma série de problemas incluindo a fome, a seca e o conflito no Mali.

Para Prodi, o foco da sua estratégia estará na ajuda humanitária e no desenvolvimento, que devem apoiar a busca de uma solução para os problemas do Mali.

Na altura, o enviado explicou ao Conselho de Segurança que, além do trabalho com governos, a operação envolve a angariação de  fundos, a mobilização em prol de ações concretas e a criação de um fundo para o Sahel.