Brasil deverá diminuir mais da metade dos casos de malária até 2015 BR

Brasil deverá diminuir mais da metade dos casos de malária até 2015

Estimativa da Organização Mundial da Saúde está em novo relatório sobre a doença, lançado nesta segunda-feira; apesar de progressos, são apontadas falhas no tratamento.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova York.

 O Relatório Mundial da Malária 2012, lançado nesta segunda-feira pela Organização Mundial da Saúde, OMS, aponta para a estabilização do financiamento para prevenção e controle da doença.

O documento alerta que a distribuição de medicamentos para salvar os afetados pela malária foi mais branda nos últimos anos. Segundo a OMS, os sinais de desaceleração ameaçam reverter os ganhos recentes contra uma das doenças infecciosas mais letais do mundo.

Mosquitos

O Brasil é citado no relatório como um dos 23 países onde ocorreram falhas no tratamento da malária, devido ao uso da substância cloroquina em vários hospitais. Mas a OMS estima progressos no país até 2015, como destacou à Rádio ONU, de Genebra, a médica da agência, Regina Ungerer.

“O Brasil diminuiu entre 50% e 75% os casos de malária, a transmissão da malária, são excelentes progressos. Sendo uma doença transmitida por um mosquito, você tem que continuar a prevenção, o tratamento, durante muito, muito tempo. Estão colocando na natureza mosquitos machos estéreis. Eles copulam, mas a fêmea não engravida e o mosquito dura muito pouco. Então com isso, iriam diminuir os casos de transmissão da doença e de novos mosquitos que chegassem.”

Nações Lusófonas

A OMS também cita avanços em outros países de língua portuguesa, como Angola, Moçambique e São Tome e Princípe, que diminuiu em 75% a incidência de malária entre 2000 e 2011.

A agência ressalta ser possível prevenir a malária, como por exemplo, com o uso de mosquiteiros e pulverização de inseticidas. A OMS estima que em 2010, cerca de 660 mil pessoas morreram por conta da doença, a maioria crianças menores de cinco anos de idade.