Brasileira entre as vencedoras do 15° prêmio L’oreal-Unesco BR

Brasileira entre as vencedoras do 15° prêmio L’oreal-Unesco

Márcia Barbosa, do Rio Grande do Sul, é uma das cinco contempladas com o prêmio Mulheres na Ciência; ela descobriu anomalia na água que pode ajudar a tratar doenças.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

 A brasileira Márcia Barbosa, professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, é uma das cinco vencedoras do prêmio L’oreal-Unesco 2013.

O prêmio Mulheres na Ciência comemora a 15ª edição, contemplando pesquisadoras da área da Física que tenham sido originais ao contribuir para a compreensão das mudanças climáticas.

Água

São reconhecidas também autoras de pesquisas sobre doenças do sistema nervoso e descoberta de novas fontes de energia. De Porto Alegre, Márcia Barbosa explicou à Rádio ONU que foi premiada por descobrir uma anomalia da água.

“A gente descobriu, através de simulações, uma anomalia em que as moléculas de água, em baixas temperaturas, começam a andar mais rápido. Como se você estivesse em um trânsito terrível e de repente, o seu carro começasse a andar mais rápido e conseguisse passar mais rápido pelos outros carros. A água faz exatamente isso. Aumenta o número de moléculas, ela anda mais rápido. É a anomalia na difusão da água.”

Segundo a L’oreal-Unesco, com a descoberta de Márcia Barbosa, será possível entender, por exemplo, como ocorrem os terremotos ou como tratar doenças causadas quando as proteínas dobram de maneira errada.

Exemplo

As outras quatro pesquisadoras premiadas são da Nigéria, da Grã-Bretanha, do Japão e dos Estados Unidos. A diretora-geral da Unesco, Irina Bokova, ressaltou “que essas cinco mulheres cientistas deram ao mundo uma melhor compreensão sobre como a natureza trabalha”.

Bokova destacou que “suas descobertas abrem fronteiras na ciência e na tecnologia e que o trabalho e dedicação das premiadas serve de inspiração para todos”.

A entrega do prêmio L’oreal Unesco para Mulheres na Ciência será em 28 de março e cada pesquisadora vai receber US$ 100 mil, ou R$ 200 mil.

A brasileira afirma que com o dinheiro, irá investir na promoção e no incentivo de meninas e jovens, para que mais mulheres sigam carreira na área da Física.