Oportunidades de emprego são o maior desafio para a África do Sul

Oportunidades de emprego são o maior desafio para a África do Sul

Relatório do Banco Mundial indica que situação é mais grave na força de trabalho juvenil, assentamentos informais, zonas rurais e os que não sejam de raça branca; taxa de crescimento pode baixar para 2,5% este ano.

[caption id="attachment_210537" align="alignleft" width="350" caption="África do Sul: situação do desemprego "]

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Um novo relatório do Banco Mundial indica que a África do Sul pode ser um caso à parte em termos de níveis de desigualdade e de oportunidades de emprego.

O estudo “Atualização Económica da África do Sul: Foco na Igualdade de Oportunidades”, indica que a situação do desemprego desafia em particular à força de trabalho juvenil e os moradores de assentamentos informais.

Segmentos

O grupo desfavorecido também inclui habitantes de áreas rurais e indivíduos que a instituição refere que “não são de raça branca.”

Por outro lado, a fragilidade económica global e a redução da confiança dos consumidores e das empresas são tidos como fatores por detrás da desaceleração económica da África do Sul.

Taxa de Crescimento

Prevê-se que, em 2012, a taxa de crescimento da economia do país baixe para 2,5%, contrariamente aos 3,1% projetados pelo Banco Mundial em Novembro do ano passado.

O fraco desempenho na oferta de oportunidades de emprego é atribuído não apenas à lentidão na criação de empregos, mas também “ao acesso desequilibrado” às poucas oportunidades existentes.

O relatório constata que a existência ou não de serviços básicos de infraestrutura na infância, afetam as possibilidades de acesso ao emprego e oportunidades dos sul-africanos na vida adulta.