Parceria de países africanos contra Sida ganha destaque (Português para a África)

Parceria de países africanos contra Sida ganha destaque (Português para a África)

Rede Laços Sul-Sul, iniciativa entre o Brasil, Timor-Leste, São Tomé e Príncipe e países latino-americanoas, é considerada um dos modelos de cooperação eficiente.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York*.

As Nações Unidas escolheram uma iniciativa de combate ao HIV/Sida como um dos exemplos eficientes de cooperação entre os países do Hemisfério Sul.

A Rede Laços Sul-Sul que inclui Brasil, Bolívia, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Paraguai, Nicarágua, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste reúne várias agências da ONU para prevenir e tratar o HIV.

Primeira Linha

A iniciativa é uma das 30 parcerias apresentadas, em Nova Iorque, na Exposição Global de Desenvolvimento Sul-Sul.

O director do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Sida, no Brasil, Pedro Chequer contou à Rádio ONU, de Brasília, como a iniciativa funciona.

“O Brasil assume o compromisso de fornecer, gratuitamente, a estes países que fazem parte do projeto toda a primeira linha de antiretrovirais que o Brasil produz. Dos países que fazem parte do projeto, a estimativa é em torno de 7 a 10 mil pacientes que devem estar recebendo. A grande maioria, infelizmente, ainda não foi diagnosticada. O Brasil deve estar fornecendo para aproximadamente 1,5 a 2 mil pacientes hoje”, explicou

A parceria, lançada pelo Brasil em 2004, promove acesso universal e combate o estigma e os preconceitos contra os soropositivos.

O projeto foi apresentado em Nova Iorque pela directora do Programa Nacional de DST/Sida do Brasil, Mariângela Simão.

*Apresentação: João Rosário, da Rádio ONU em Nova York.