Ban pede cooperação para vencer crises mundiais (Português para África)

Ban pede cooperação para vencer crises mundiais (Português para África)

Secretário-Geral da ONU diz que com confrontos, mundo não irá superar crises financeira, energética e de alimentos.

Cátia Marinheiro, Rádio ONU em Nova York.

O Secretário-Geral da ONU afirmou na Assembleia Geral das Nações Unidas que apenas a cooperação entre os países pode levar à superação da crise mundial.

Ban mostrou-se preocupado e pediu a todas as nações para se comprometerem neste desafio.

Compromisso

No discurso, Ban disse que a crise financeira, a crise energética e a crise alimentar afectam todas as nações e complicam todos os outros problemas.

O Secretário-Geral da ONU lembrou que as negociações sobre o comércio mundial também fracassaram e disse que o mundo tem visto uma nova leva de conflitos e violência e o surgimento de uma retórica de confrontação.

Ban disse que o crescimento global levou bilhões de pessoas à pobreza e referiu o desrespeito dos direitos humanos em países como Afeganistão, Somália, República Democrática do Congo, Iraque e Sudão.

Ele referiu também que o mundo assiste a uma grande transição e que países da América Latina e Ásia estão a tornar-se novos centros de poder e liderança.

O Secretário-Geral das Nações Unidas pediu a todas os países empenho para cumprir as Metas do Milénio, dizendo em francês que todos devem ter uma atenção especial com África.

Ele pediu a líderes internacionais que transformem as metas em realidade até 2015.

Ban mostrou-se também preocupado com a crise alimentar em África e de como ela pode comprometer o desenvolvimento desse continente. O Secretário-Geral disse que muitos africanos fazem apenas uma refeição por dia, quando antes podiam fazer duas.

Paz e Segurança

No seu discurso, ele lembrou alguns conflitos que comprometem a paz e a segurança no mundo, salientando o papel importante que as agências das Nações Unidas estão a fazer em países como Timor-Leste, Libéria, Serra Leoa e Zimbabué.

Ban Ki-moon falou da importância do combate à malária e à Sida e a redução da mortalidade materna e infantil, no alcance das Metas do Milénio e pediu também aos governantes uma actuação responsável tendo em conta as mudanças climáticas.

Ban terminou o discurdo dizendo que a ONU tem que se renovar, contrariando a estagnação e promovendo a criatividade.

O Secretário-Geral disse que a cultura das Nações Unidas tem que ser mudada. Ele disse que precisa de uma ONU mais rápida, mais moderna, mais eficiente. Ban disse que apresentará a proposta de mudanças nas próximas semanas e pediu o apoio dos países-membros na aprovação das medidas.