Morte de civis no Afeganistão é grande preocupação, diz ONU

Morte de civis no Afeganistão é grande preocupação, diz ONU

Grupo de direitos humanos visitou Herat, onde pelo menos 90 civis foram mortos após operação militar; segundo Missão da ONU há indícios fortes de que as 90 pessoas, incluindo 60 crianças, foram mortas no ataque aéreo.

Marta Barroso & Mônica Villela Grayley, Rádio ONU em Nova York.*

A Missão de Assistência das Nações Unidas no Afeganistão, Unama, informou que há provas contundentes de que 90 pessoas foram de facto mortas durante uma operação militar em Shindand, na província de Herat, no oeste do país.

O representante especial do Secretário-Geral no Afeganistão, Kai Eide, fez a declaração após o retorno de uma equipa de especialistas em direitos humanos ao local.

O ataque aéreo foi realizado na sexta-feira passada. Cerca de 60% das vítimas eram crianças.

Segundo Eide, a situação é motivo de grave preocupação para as Nações Unidas. Ele reafirmou a necessidade de proteção dos civis em conflitos.

Eide disse que é fundamental que as forças militares do Afeganistão revejam as formas de operação para evitar a repetição de um incidente trágico como este.

A equipa encontrou-se com o governador do distrito e representantes locais.

Bombardeamentos

De acordo com dados da Unama, a destruição causada por bombardeamentos aéreos é evidente, estando algumas casas completamente e outras parcialmente destruídas.

O representante da ONU prestou condolências às famílias afectadas e ofereceu assistência às autoridades.

Apresentação*: João Duarte, Rádio ONU em Nova York.