Estrangeiros na África do Sul pedem ajuda para regresso (Português para África)

Estrangeiros na África do Sul pedem ajuda para regresso (Português para África)

Sem dinheiro ou documentos para deixar o país, imigrantes recorrem à OIM para fugir da violência.

Cadija Tissiani, da Rádio ONU em Nova York*.

A Organização Internacional para Migrações, OIM, recebeu, esta sexta-feira, um pedido oficial dos governos do Gana e da Etiópia para ajudar os cidadãos que desejam sair da África do Sul a voltarem para os seus países de origem.

Segundo a OIM, cerca de 2 mil emigrantes estão a fugir da onda de violência que se abateu sobre a África do Sul nas últimas semanas, mas a maioria não tem dinheiro ou documentos para o regresso.

O Burundi, Bangladesh, Paquistão, Zimbabué, Malawi, Moçambique e República Democrática do Congo também já formalizaram pedidos para ajuda.

Risco

Em entrevista à Radio ONU, de Nova York, antes do encontro, o especialista da OIM, Martin Andreas, disse que o tráfico humano é um risco diante desse tipo de situação.

“Em se tratando da África do Sul não temos indicações de que a onda de xenofobia pode provocar mais tráfico humano. O que sabemos é que quando há conflitos, dentro das populações de refugiados a probabilidade de alguém ser seduzido ou vendido é muito mais alta”, disse.

Andreas participou da reunião sobre Tráfico Humano, no início da semana, na sede da ONU.

Assistência

Para atender às necessidades da população deslocada, a OIM lançou um apelo de emergência no valor de US$ 1 milhão.

Além das passagens, os emigrantes receberão orientações para o retorno assim como assistência durante a viagem.

*Apresentação: João Duarte, da Rádio ONU em Nova York