ONU marca Dia Mundial do Refugiado

ONU marca Dia Mundial do Refugiado

Pesquisa das Nações Unidas sugere que mundo tem 11,4 milhões de refugiados e 26 milhões de deslocados por causa de violência e insegurança.

Iara Luchiari, Rádio ONU em Nova York.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur, comemora esta sexta-feira o Dia Mundial do Refugiado.

Este ano, a protecção foi o tema escolhido para comemorar a data em diferentes cidades do mundo.

Solidariedade

De acordo com as Nações Unidas, existem cerca de 11,4 milhões de refugiados e 26 milhões de deslocados internos.

Os maiores grupos de refugiados encontram-se na Colômbia e no Iraque. Em África os países que mais geram refugiados são o Sudão e a Somália.

O porta-voz do Acnur, William Spindler, disse à Radio ONU, de Genebra, que o maior presente que o refugiado pode receber nesta data é apoio.

“Mais solidariedade com os refugiados, mais apoio para ajudá-los a sair desta situações. Os refugiados não querem estar numa situação de dependência. São pessoas que podem contribuir para os seus países de asilo e são pessoas que querem apenas uma oportunidade para poderem contribuir”, disse.

Moçambique

Spindler lembrou o que ele chamou de um dos maiores processos de repatriação em África ocorreu entre 1993 e 1995 com os refugiados de Moçambique após a guerra civil no país.

“Cerca de 2 milhões de refugiados foram repatriados para Moçambique. Refugiados moçambicanos que estavam no Zimbabué, na Tanzânia, no Malaui e outros países da região. É um caso de um retorno com sucesso e que continua até este momento. É um país estável”, afirmou.

Celebrações

O número recorde de refugiados foi registado pelo segundo ano consecutivo após uma tendência de queda na procura de asilos até 2006.

A data é comemorada desde 2001, após uma resolução da Assembleia Geral da ONU que coincide com o Dia do Refugiado Africano.

Apresentação*: João Duarte, da Rádio ONU em Nova York.