Febre amarela

Febre amarela

Organização Pan-Americana da Saúde, no Brasil, diz que 10% dos brasileiros não são imunizados; grande maioria vive em áreas de mata.

Numa entrevista exclusiva à Rádio ONU, o encarregado de doenças transmissíveis da organização, em Brasília, Ruben Figueroa, disse que a imunização, que pode ser obtida nos postos de saúde, é a melhor maneira de se proteger da doença.

Eficácia

"A conduta por excelência é a vacinação. É uma vacina acessível que tem uma eficácia superior a 95%. Mesmo que tenha algum efeito secundário indesejável, como qualquer outro medicamento ou vacina, isso acontece numa proporção infinitamente pequena da população vacinada", disse.

Segundo Figueroa, é impossível garantir com 100% de segurança que a febre amarela urbana não retornará.

"Em termos gerais, a Opas considera, há já alguns anos, que há risco no continente americano de reaparecimento da febre amarela urbana. Biologicamente, há condições para que isso aconteça", disse.

Turistas

De acordo com as autoridades brasileiras, dois casos de febre amarela foram confirmados desde dezembro com uma vítima fatal.

O governo emitiu um alerta pedindo a turistas, que visitam áreas de mata, que se vacinem.

Os dois casos da doença foram detectados em pessoas que viajaram aos estados de Goiás e Mato Grosso do Sul.

De acordo com o Ministério da Saúde, a febre amarela urbana foi erradicada no Brasil em 1942.

A doença apresenta sintomas de febre, dor de cabeça, náuseas e dores no corpo, e é transmitida pela picada do mosquito infectado.