Ban reafirma promessa de luta contra terrorismo

Ban reafirma promessa de luta contra terrorismo

O Secretário-Geral discursou numa cerimónia em homenagem às vítimas, na sede da organização em Nova York.

Jorge Soares, da Rádio ONU em Nova York.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon reafirmou nesta quarta-feira a determinação das Nações Unidas em honrar seus trabalhadores mortos, em 11 de Dezembro, nos ataques a bomba na Argélia.

Ban Ki-moon discursou numa cerimónia em homenagem às vítimas, na sede da organização em Nova York, após seu regresso da Argélia.

Ele revelou ter ficado sensibilizado com os encontros mantidos com familiares dos falecidos, muito deles crianças.

Actos de heroísmo

Ban disse ter conhecido o pai de um trabalhador de segurança que morreu ao atirar-se contra um dos carros-bomba tentando deter o ataque.

O Secretário-Geral contou ainda que conheceu um jovem funcionário do Fundo da População da ONU, Unfpa, que após ser impactado pela força das explosões passou várias horas escavando nos escombros ajudando nas manobras de resgate.

O Secretário-Geral prometeu apresentar ao Conselho de Segurança uma proposta para melhorar a protecção de todas as sedes da ONU no mundo.

Ban Ki-moon sublinhou que a ONU deve explicar ao público e à mídia o papel que a organização desempenha no mundo.

Papel da ONU

Ele disse que é preciso esclarecer que as Nações Unidas não estão representando interesses de um grupo de nações contra outro.

Após o discurso de Ban Ki-moon, os trabalhadores do Secretariado da ONU em Nova York realizaram uma marcha silenciosa, de 10 minuos, em frente ao edifício para homenagear as vítimas da Argélia.

Os ataques, que mataram pelo menos 40 pessoas, entre elas 17 funcionários da ONU foram provocados por dois carros-bomba.

O primeiro explodiu perto do prédio da ONU destruindo a sede do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Pnud.

O segundo atingiu o Supremo Tribunal, na capital Argel.