Ex-criança soldado é embaixador da Boa-Vontade do Unicef

Ex-criança soldado é embaixador da Boa-Vontade do Unicef

Segundo o Unicef, mais de 250 mil crianças continuam a ser usadas em acções armadas.

Jorge Soares, da Rádio ONU em Nova York.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, anunciou nesta terça-feira a designação do ex-criança-soldado da Serra Leoa, Ishmael Beah (foto) como embaixador da Boa Vontade.

Beah esteve recrutado durante dois anos e foi libertado com a ajuda do Unicef.

O anúncio serviu para marcar o 18º aniversário da Convenção da ONU sobre os Direitos das Crianças que se celebra neste 20 de Novembro.

Segundo o Unicef, mais de 250 mil meninas e meninos continuam a ser usados em acções armadas, sobretudo em África.

O caso ugandês

No Uganda, o Unicef vem assistindo a mais de 2 mil ex-crianças-soldados que estiveram sob comando do Exército de Resistência do Senhor, LRA, no norte do Uganda.

Antes do evento do Unicef, o enviado especial do Secretário-Geral da ONU para as áreas afectadas pelo LRA (sigla em inglês), no Uganda, Joaquim Chissano, disse à Rádio ONU, em Nova York, que o processo de libertação dos menores é muito complexo.

"A LRA diz que as crianças que estão lá são seus filhos, são componentes do movimento e que vivem com eles, vivem com suas mães, embora se diga que essas mães também foram raptadas. Eles dizem que libertariam as crianças que não estivessem mais lá. Mas isso é difícil de controlar porque nós não penetramos nas bases deles", disse.

A agência da ONU apela aos governos em nível mundial para que coloquem os direitos das crianças no topo das agendas nacionais.