Aiea debate formas de evitar contrabando nuclear

Aiea debate formas de evitar contrabando nuclear

A Aiea afirma que, só no ano passado, mais de 250 ocorrências de roubo ou perda de material nuclear foram registadas em todo o mundo.

Jorge Soares, da Rádio ONU em Nova York.

Mais de 300 especialistas estão reunidos em Edimburgo, a Escócia, para uma conferência da Agência Internacional de Energia Atómica. O evento discute maneiras de evitar o contrabando de material nuclear.

Segundo os participantes, os países que detêm a tecnologia deveriam ser mais cuidadosos no controle de stocks.

Leia o boletim do repórter da Rádio ONU, Marcelo Torres, de Londres.

A Conferência Internacional sobre Tráfico Nuclear Ilícito: a Experiência Colectiva e o Caminho a Seguir" está analisando propostas de conscientização dos países que produzem material nuclear.

O representante dos Estados Unidos no encontro, Steven Aoki, disse que uma grande quantidade de material radioactivo está existe espalhada pelo mundo. Segundo ele, este material não estaria catalogado por nenhum país.

Roubo e Perda

A Aiea afirma que, só no ano passado, mais de 250 ocorrências de roubo ou perda de material nuclear foram registadas em todo o mundo. O número representa o dobro de incidentes ocorridos em 2005.

Segundo alguns participantes da conferência, a falta de controle sobre material radioactivo passa pela segurança das grandes cidades.

O director de Inteligência e Operações Anti-terrorismo do Ministério do Interior Britânico, William Nye, por exemplo, disse que organizações terroristas estariam buscando urânio e plutónio para fabricar bombas, que seriam usadas em novos ataques contra a cidade de Londres ou Washington.

A conferência da Aiea, em Edimburgo, termina nesta quinta-feira.