Violência obriga 10 mil pessoas a deixar capital da Somália, diz Acnur

Violência obriga 10 mil pessoas a deixar capital da Somália, diz Acnur

O Conselho de Segurança reuniu-se nesta segunda-feira para analisar a situação na Somália.

De acordo com o Acnur, a reunião foi posteriormente suspendida devido a uma série de ataques aos lugares onde se realizava o Congresso.

O Acnur acrescenta que dos 400 mil deslocados internos que deixaram Mogadíscio desde o reinício do conflito em Fevereiro, apenas 125 mil regressaram as suas casas.

A ONU registou que algumas das pessoas que voltaram, estão a deixar a cidade de novo.

Uma representante do Escritório das Nações Unidas para Assistência Humanitária, Ocha, Frederica d’ Andrea, disse à Rádio ONU, em Nova York, que violência está a dificultar os trabalhos humanitários.

“O Programa Alimentar Mundial informa que cerca de 1 milhão de pessoas na Somália necessita de assistência humanitária e alimentar, e nessas condições, é difícil de entregar ajuda humanitária à população”, disse.

Ainda nesta segunda-feira, o Conselho de Segurança analisou a situação na República Democrática do Congo e debateu a problemáticas das crianças-soldado, tendo apelado aos grupos armados que operam no país para desmobilizarem todas as crianças que participam em acções armadas.

Em Genebra, na Suíca, o Conselho dos Direitos Humanos, debateu o relatório anual do grupo de trabalho sobre Crianças e Conflitos Armados.