Unesco quer leis sobre herança arqueológica de naufrágios africanos BR

Unesco quer leis sobre herança arqueológica de naufrágios africanos

Especialistas da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, reuniram-sem em Brazzaville, capital da República do Congo, para discutir formas legais de proteger objetos de naufrágios na Costa Ocidental da África.

Segundo a Unesco navios naufragados, há muitos séculos, guardam grande parte da história mundial, como por exemplo, o tráfico de escravos e a troca de mercadorias entre países.

A mergulhadora Patrícia Azevedo falou à Rádio ONU, de Recife, sobre naufrágios no litoral brasileiro.

“Quando você mergulha no fundo do mar, você começa a viajar no que você ouviu e o que você teve acesso a algum documentário, enfim. O Brasil é dotado de uma costa imensa, e Recife é conhecida no Brasil, e internacionalmente também, como a capital dos naufrágios”, disse.

De acordo com a agência da ONU, o desenvolvimento de tecnologias de mergulho melhorou o acesso a navegações naufragadas e ao material arqueológico.