Monuc condena morte de civis por milícias na RD Congo

Monuc condena morte de civis por milícias na RD Congo

A Missão das Nações Unidas na República Democrática do Congo, Monuc, condenou os ataques deste fim de semana, que mataram cerca de 30 pessoas e deixaram 27 feridas.

Segundo a Monuc, os agressores utilizaram machetes, baionetas e navalhas. Mais da metade das vítimas eram mulheres e crianças.

O assistente do vice-representante do Secretário-Geral da ONU na República Democrática do Congo, Helder de Barros, falou à Rádio ONU, de Kinshasa, sobre a operação da polícia e da Monuc após os incidentes.

“A Monuc e mais as Forças Armadas da República Democrática do Congo iniciaram patrulhas nos bairros do Nyabuluze e Muhungu e aí conseguiram que quatro reféns pudessem escapar. Há também a informação de que os corpos de 12 reféns tenham sido encontrados”.

Ainda não se sabe quem são os autores dos ataques.

Há relatos de que milicianos refugiados de Ruanda poderiam estar envolvidos nos incidentes, mas um porta-voz das milícias negou, numa entrevista à rede britânica BBC, qualquer envolvimento com os ataques.