UN-Habitat alerta sobre crescimento urbano nos países pobres

UN-Habitat alerta sobre crescimento urbano nos países pobres

Um estudo do Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos, UN-Habitat, estima que em 2030, dois terços da população mundial estarão vivendo nos centros urbanos.

Na abertura do encontro, a directora-executiva do UN-Habitat, Anna Tibaijuka, afirmou que 2007 marca o ano em que, pela primeira vez, a população urbana supera a rural, em nível mundial.

O órgão da ONU sugere aos países em desenvolvimento a adopção de planos para controlar os problemas provocados pela urbanização descontrolada.

O director do Escritório Regional do UN-Habitat para América Latina e Caraíbas, Jorge Gavidia, falou à Rádio ONU, de Nairobi, sobre o impacto do crescimento das cidades.

“O mundo já passou nesse momento a marca de 50% de pessoas que moram na cidade. Na América Latina, temos 75% de pessoas que moram em cidades. Mas os problemas gerados são a falta de planeamento dessas cidades, que se reflectem em uma demanda não satisfeita por serviços básicos: água, esgotos e lixo. No caso da América Latina, agora o problema central é a regularização das propriedades e o serviço de infraestrutura das nossas cidades” explicou.

De acordo com o Un-Habitat, desde 1985, a cidade que acolhe a reunião, Nairobi, viu a sua população crescer de 1,1 milhão de pessoas para cerca de 3 milhões.