General Carlos Alberto dos Santos Cruz, 23/01/07

General Carlos Alberto dos Santos Cruz, 23/01/07

Novo comandante da Minustah fala sobre seus planos à frente das tropas no Haiti.

O general brasileiro Carlos Alberto dos Santos Cruz assumiu em meados de janeiro o comando da Minustah, a Missão de Estabilização da ONU no Haiti. O militar gaúcho, que já treinava os contigentes brasileiros ao país caribenho, também atuou na Rússia como adido militar. Santos Cruz diz que tem um sonho: pacificar a comunidade de Cité Soleil e oferecer serviços sociais de qualidade à população local.

Ele começa a entrevista explicando que o papel da Minustah é apoiar o governo em tudo que necessita para estabilizar o país. Santos Cruz afirma que o Haiti precisa de muita infra-estrutura.

O novo comandante aproveita para lembrar a política de “tolerância zero” para abuso sexual entre as tropas. “Na realidade, desde que cheguei aqui não me deparei com nenhum caso. Não existe este problema aqui. E se houver, estaremos investigando”, avisa.

Ele lembrou que deverá seguir os passos de seu antecessor, general José Elito Carvalho Siqueira, em integrar o esporte nos projetos sociais com a juventude haitiana. “Não só aqui, mas na maioria dos lugares, as pessoas gostam de futebol. E o talento dos jogadores brasileiros é muito apreciado”, diz.

Sobre as críticas das operações da Minustah em dezembro em Cité Soleil, que teriam causado a morte de pelo menos oito pessoas, ele responde: “Nossas tropas são muito cuidadosas, e a nossa instrução é para evitar qualquer perda de vida, mas neste caso fomos atacados e tivermos que reagir”, disse.

O novo chefe das tropas afirmou que a Minustah está trabalhando em cooperação estreita com a polícia haitiana para combater crimes como por exemplo assaltos e seqüestro em Porto Príncipe, capital do Haiti.

O mandato de Santos Cruz deve ser de um ano.