Uitd diz que crise na saúde agrava combate à tuberculose BR

Uitd diz que crise na saúde agrava combate à tuberculose

A União Internacional contra Tuberculose e Doenças Pulmonares, Uitd, informou que uma defasagem de 4 milhões de profissionais da saúde é uma das maiores barreiras ao combate às doenças pulmonares.

O evento, que reúne cerca de 2 mil pessoas, também discute os efeitos do aumento de consumo de tabaco nos países pobres, o surgimento de uma forma ultraresistente de tuberculose e o risco de uma pandemia de gripe aviária.

O consultor independente Ezio Santos Filho, que participa do encontro, disse à Rádio ONU, de Paris, que apesar do tratamento disponível no Brasil, muitas pessoas continuam sem acesso aos remédios após serem contamidadas.

“Ás vezes contamina-se andando na rua, então é muito difícil você evitar o contágio. Para se ter uma idéia, um em cada três habitantes do planeta Terra está contaminado com o bacilo causador da tuberculose. O problema é que ele não se manifesta se você não receber uma grande carga, e se o organismo estiver debilitado, aí que ele pode eclodir. Então é por isso que para as pessoas vivendo com Aids, por exemplo, é particularmente um problema muito grave”, disse Santos Filho.

Segundo o Ministério da Saúde, existem cerca de 85 mil casos de tuberculose no Brasil. O país ocupa a posição 16 no ranking dos 20 países com o maior número de casos.