Banco Islâmico doa US$10 bilhões para combater a pobreza em 56 países

Banco Islâmico doa US$10 bilhões para combater a pobreza em 56 países

A Assembleia Geral das Nações Unidas se reuniu, nesta segunda-feira, para debater as parcerias com vista a alcançar os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio, e para identificar os obstáculos que impedem alguns países de atingir as metas estabelecidas.

O Secretário-Geral da ONU, Kofi Annan, ao discursar na plenária da Assembleia Geral reconheceu avanços significativos em algumas regiões, como no continente asiático, mas lamentou a existência de um grande número de países em África que se estão atrasando nesse processo.

Kofi Annan disse que a Organização das Nações Unidas deve estar apta para apoiar os programas dessas nações e ajudá-las na obtenção dos conhecimentos, montar as instituições e o sistema que facilitem a criação de empregos, habitações, escolas e sistemas de saúde de que as populações necessitam.

Falando das parcerias, o Secretário-Geral elogiou o papel dos países desenvolvidos cuja ajuda financeira para os objectivos do milénio já ultrapassou a meta dos US$ 100 bilhões de dólares. Entre eles, Kofi Annan destacou o caso do Banco Islâmico.

A ONU entende que os países menos avançados devem, por sua vez, elevar o seu compromisso no sentido de adoptar e implementar estratégias nacionais que demonstrem a vontade de alcançar as Metas do Milénio.