Dia Internacional destaca voluntariado para construção de futuro mais próspero BR

Programa de Voluntários da ONU na Tanzânia
ONU/Ahimidiwe Olotu
Programa de Voluntários da ONU na Tanzânia

Dia Internacional destaca voluntariado para construção de futuro mais próspero

ODS

As Nações Unidas marcam a data em 5 de dezembro; Programa de Voluntários da ONU amplia chamada para trabalhadores, que podem contribuir com um futuro mais próspero; pesquisa revela que voluntários são mais felizes e menos vulneráveis a estresse e depressão.

Neste 5 de dezembro, as Nações Unidas celebram o Dia Internacional do Voluntário. Todos os anos, o Programa de Voluntários da ONU aproveita a data para reconhecer e promover o trabalho feito por trabalhadores de todo o mundo.

Este ano, a chamada é para que mais pessoas se voluntariem e cooperem para alcançar um futuro mais próspero.

Voluntário do Unicef na Tailândia
Unicef/Nipattra Wilkes
Voluntário do Unicef na Tailândia
Tweet URL

Felicidade

As Nações Unidas também destacam que 70% dos voluntários do mundo ajudam suas comunidades de maneira informal, sem o apoio de entidades.

O Programa de Voluntários da ONU divulgou dados sobre os resultados na qualidade de vida das pessoas que doam seu tempo para causas.

A pesquisa mostra que, em comparação com pessoas que nunca se voluntariaram, a probabilidade de ser “muito feliz” aumenta em 7% entre aqueles que se voluntariam mensalmente.

O número sobe para 12% entre aqueles que se colocaram à disposição mais de duas vezes por mês.

A agência destaca que o trabalho evita o isolamento social, considerado fator de risco para depressão.

Relatório

O voluntariado também estimula as relações humanas e ajuda a diminuir níveis de estresse e a depressão.

Nesse aniversário de 50 anos, o Programa de Voluntários das Nações Unidas celebra ainda a marca de 10 mil participantes.

A entidade divulgou um relatório que examina a contribuição do voluntariado para paz e desenvolvimento.

O estudo destaca a capacidade de promover uma cultura colaborativa, alterar relações de poder, fortalecer a participação cívica e construir pontes.