Mulheres em zona rural da Costa Rica estão plantando árvores para ajudar a combater a mudança climática

ONU diz que adaptação e resiliência requerem 50% do financiamento global para o clima  BR

Pnud Costa Rica
Mulheres em zona rural da Costa Rica estão plantando árvores para ajudar a combater a mudança climática

ONU diz que adaptação e resiliência requerem 50% do financiamento global para o clima 

Clima e Meio Ambiente

Secretário-geral alerta que valor grupo de nações pode subir mais do triplo para US$ 300 bilhões anuais até 2030; Timor-Leste integra fórum que discute financiamento; Guterres deverá abordar tema com ministros do G-20. 

As Nações Unidas participaram esta quinta-feira na primeira Cimeira de Finanças dos Países Vulneráveis ao Clima. Timor-Leste é o único membro de língua portuguesa do Fórum de Vulnerabilidade ao Clima, que reúne 48 nações. 

Na abertura do evento, o secretário-geral António Guterres pediu equilíbrio na atribuição de recursos de economias mais avançadas para mitigação e adaptação climática das nações em desenvolvimento.  

Resiliência  

A proposta do líder das Nações Unidas é que 50% do financiamento climático global de países desenvolvidos e bancos multilaterais sejam investidos para adaptação e resiliência em economias em desenvolvimento.  

Para o chefe da ONU, é preciso facilitar e acelerar o acesso aos fundos climáticos. O secretário-geral apelou os países mais ricos a promover avanços na adaptação, ao realçar que apenas US$ 16,7 bilhões, ou 21% do financiamento são alocados para essa área e para a resiliência. 

Zonas costeiras do Pacífico estão entre as mais vulneráveis do mundo
Pnud/Andrea Egan
Zonas costeiras do Pacífico estão entre as mais vulneráveis do mundo

 

Os custos de adaptação para os países em desenvolvimento são atualmente de US$ 70 bilhões anuais. De acordo com as Nações Unidas, o valor pode chegar a US$ 300 bilhões até 2030. 

Confiança 

Este grupo de países também precisa garantir que sua ambição será satisfeita com o apoio necessário em níveis financeiro e técnico. 

Para reconstruir a confiança, Guterres defende que economias desenvolvidas deixem claro como os US$ 100 bilhões de fundos climáticos anuais serão enviados ao mundo em desenvolvimento, como prometido há mais de uma década. 

Guterres disse ainda que a solidariedade começa com a atribuição desse montante. Outra necessidade é de um plano claro para atingir a meta até 2025, um assunto que será enfatizado aos ministros de Finanças do G-20 nesta sexta-feira.  

O secretário-geral destacou que o mundo vive um ano decisivo, ao assegurar total apoio das Nações Unidas ao fórum para restaurar a cooperação entre governos e se recuperarem da pandemia de forma inclusiva, com baixo teor de carbono e resilientes ao clima.  

Secretário-geral destacou apoio das Nações Unidas ao fórum que inclui Timor-Leste
Unossc
Secretário-geral destacou apoio das Nações Unidas ao fórum que inclui Timor-Leste