Guterres: Kofi Annan era as Nações Unidas e as Nações Unidas eram ele

13 setembro 2018

Acompanhe as palavras do secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, no funeral de Kofi Annan. As cerimônias aconteceram esta quinta-feira em Accra, capital de Gana

Para Nane Annan e a família Annan, 

Para a grande família de Kofi Annan, começando pelo senhor presidente Akufo-Addo, e a todas as pessoas do seu amado Gana e estendendo a todos os cantos do globo

A família do ex-secretário-geral da ONU, Kofi Annan, reunida em torno da urna antes de seu funeral em Acra., by ONU News/Ben Malor.

Aos muitos membros da comunidade das Nações Unidas que sentem a perda de um dos seus.

Desde o choque da morte do Kofi que tenho refletido sobre o que fazia dele tão especial.

Para mim, é simplesmente isso:  

Kofi Annan era único e também um de nós.

Kofi Annan era único e também um de nós.

Ele era um líder global excecional – e era também alguém com quem qualquer pessoa no mundo poderia se identificar: os que estão no pior da pobreza, do conflito, do desespero e que encontraram nele um aliado; o jovem funcionário da ONU que segue os seus passos; o jovem a quem ele disse até ao seu último suspiro: “lembre-se sempre, nunca se é jovem demais para liderar e nunca somos velhos demais para aprender”.

Como poucos do nosso tempo, Kofi Annan conseguia aproximar pessoas, deixa-las à vontade e uni-las num objetivo comum para a humanidade.

Existe esta piada antiga: a arte da diplomacia passa por dizer alguma coisa, especialmente quando você está falando!

Kofi Annan conseguia falar tudo, por vezes sem dizer uma única palavra.

Vinha da dignidade, da convicção moral e da humanidade que lhe era tão profunda.

Ele tinha aquela voz meiga, com aquele ritmo que fazia as pessoas sorrir e pensar em música. Mas as suas palavras eram graves e sábias e, por vezes, quanto mais grave era a situação, mais baixo era o seu tom de voz.

Nós nos inclinávamos para o ouvir e o mundo inclinava-se também. E éramos recompensados pela sua sabedoria.

Kofi Annan era corajoso, dizia a verdade ao poder instalado ao mesmo tempo que se auto submetia a um escrutínio intenso.

E assim como o seu antecessor, Dag Hammarskjold, ele tinha um sentido quase místico do papel das Nações Unidas como força do bem num mundo de problemas.

Tudo isto somado a um número notável de conquistas. Ele foi pioneiro em ideias e iniciativas novas, incluindo os Objetivos de Desenvolvimento do Milénio e as reformas marcantes do seu relatório “Em Maior Liberdade”. 

Ele abriu as portas das Nações Unidas, aproximando a Organização à população mundial e envolvendo novos parceiros na proteção do meio ambiente, na defesa dos direitos humanos, no combate ao HIV/Sida e outras doenças mortais.  

Kofi Annan era as Nações Unidas e as Nações Unidas eram ele.

Queridos amigos,

Kofi Annan era também meu bom amigo.

Kofi Annan era também meu bom amigo.

Estivemos juntos ao longo da vida de várias maneiras.

Quando o povo de Timor-Leste procurava a autodeterminacão, trabalhámos juntos – ele das Nações Unidas e eu de Portugal – para apoiar uma resolução pacífica do processo.

Annan foi atleta durante a universidade, tendo batido recordes de velocidades. , by Domínio Público

Quando a agência das Nações Unidas necessitou de uma nova liderança, Kofi me deu a benção de sua confiança ao perguntar se eu gostaria de assumir esse papel e depois dando apoio de forma inabalável para proteger e abrigar os mais vulneráveis dos vulneráveis.

Agora que ocupo a função que já foi do Kofi, sou continuamente inspirado pela sua integridade, dinamismo e dedicação. Para ele, a indiferença era o maior veneno do mundo.

Mesmo depois de terminar o seu mandato de secretário-geral, ele nunca parou de batalhar linha de frente da diplomacia.

Ele ajudou a acalmar as tensões pós-eleitorais no Quénia, deu seu melhor para encontrar uma solução política na guerra brutal da Síria e definiu o caminho para assegurar justiça e respeito pelos direitos do povo rohingya no Mianmar.

 Kofi abraçou muitos mundos, norte e sul, leste e oeste.

Mas ele encontrou seu porto de abrigo nas suas raízes e identidade africanas.

O grande Nelson Mandela, muitas vezes chamado de Madiba, tinha seu próprio nome para Kofi a quem chamava de “meu líder”.

Isto não é uma brincadeira. Kofi era também o nosso líder.

Vencedor do Prêmio Nobel da Paz, Annan serviu dois mandatos como secretário-geral da organização entre 1997 e 2006. , by Foto ONU/Eskinder Debebe

Quando o vi pela última vez, não há muito tempo nas Nações Unidas, a sua postura era tal como sempre me lembrarei: calmo mas determinado, pronto a sorrir mas sempre com a gravidade do trabalho que fazemos.

Ele já não está entre nós e iremos sentir muitíssimo a sua falta.

Contudo, tenho a certeza de que se continuarmos a inclinar-nos e a esforçarmo-nos continuaremos a escutar as palavras sábias e os conselhos de Kofi Annan.

“Continuem, por favor”, ouço-o a dizer.

“Sabem o que devem fazer: cuidem um dos outros. Cuidem do nosso planeta. Reconheçam os direitos de toda a humanidade e apoiem as Nações Unidas – o local onde todos nós podemos nos unir para solucionar problemas e construir um futuro melhor para todos.”.

Queridos amigos,

Vamos continuar a prestar atenção àquela voz da razão – a voz da moralidade e da solidariedade. O nosso mundo necessita disso agora mais do que nunca.

Ao enfrentarmos os ventos desfavoráveis destes tempos conturbados e turbulentos, vamos sempre nos inpirar pelo legado de Kofi Annan e ser guiados pelo conhecimento que ele continuará a transmitir, incitando-nos a atingir os objetivos para os quais dedicou sua vida e que realmente mudaram o nosso mundo.

Muito obrigado.

Neste vídeo, acompanhe a homenagem de Guterres em inglês.