ONU profundamente triste com morte de ex-secretário-geral Kofi Annan
BR

19 agosto 2018

António Guterres emitiu comunicado afirmando que Annan era uma força para o bem cujo legado se mantém como uma inspiração para todos; para o atual chefe da ONU, Annan era as Nações Unidas; segundo agências de notícias, morte ocorreu este sábado, na Suíça.

As Nações Unidas emitiram uma nota de pesar pela morte do ex-secretário-geral da organização, Kofi Annan.

Segundo agências de notícias, ele morreu este sábado, na Suíça, aos 80 anos, após diagnóstico recente de doença.

Diginidade e determinação

Em comunicado, o atual chefe da ONU, António Guterres, afirmou que estava profundamnte triste com o falecimento. Para ele, Annan era uma força para o bem e que, de muitas formas, representava a própria ONU.

Guterres lembrou que Annan fez carreira nas Nações Unidas até chegar à liderança da organização no novo milênio com dignidade e determinação incomparáveis.

Kofi Annan, nascido em Gana, chefiou a ONU de 1997 a 2006, quando passou o cargo ao sul-coreano, Ban Ki-moon.

Mentor e amigo

António Guteres afirmou que tem orgulho de poder chamar Annan de um bom amigo e mentor. E falou de sua honra ao ter sido escolhido pelo ex-secretário-geral para chefiar a Agência da ONU para Refugiados, Acnur. 

Segundo ele, Annan era alguém que podia buscar para conselhos e sabedoria. E o ex-secretário-geral oferecia oportunidade de diálogo e espaço, além de um caminho para um mundo melhor, a todos e em qualquer lugar.

Para António Guterres, num mundo tão turbulento e difícil, Kofi Annan jamais deixou de trabalhar pelos valores da Carta das Nações Unidas. O  atual chefe da organização afirma que o legado do ex-secretário-geral Kofi Annan permanecerá uma inspiração verdadeira a todos.

Guterres encerrou o comunicado expressando seus mais profundos sentimentos à viúva de Annan, Nane Annan e à família, e a todos que estão em luto hoje por alguém que tinha orgulho em ser filho da África e “que se tornou um campeão global para paz e toda a humanidade.”
 

UN / E. Debebe
Encontro entre o ex-secretário-geral da ONU, Kofi Annan, e o ex-presidente sul-africano Nelson Mandela em Houghton, Johanesburgo, em março de 2006.