Jogadora Marta torce por Croácia, mas acredita que França deve vencer Mundial
BR

13 julho 2018

Em entrevista exclusiva à ONU News, a nova embaixadora da ONU Mulheres para Meninas e Mulheres no Esporte afirma que o futebol é uma ferramenta poderosa na promoção da igualdade de gêneros; Marta diz que maior exemplo feminino é a própria mãe, dona Tereza.

Ela é conhecida como uma das melhores jogadoras de futebol do mundo. Já ganhou a Bola de Ouro da Fifa e a Medalha de Prata em duas Olimpíadas.

Desde 12 de julho, é também embaixadora da Boa Vontade da ONU Mulheres para Meninas e Mulheres no Esporte.

O Campeonato Mundial de Futebol acontece na Rússia entre 14 de junho e 15 de julho., by Foto: Osce

Palpite

Marta Vieira da Silva, a atual atleta do Orlando Pride, nos Estados Unidos, conversou com a ONU News sobre o novo papel junto à ONU Mulheres.

A jogadora brasileira quer fazer o que estiver a seu alcance para promover mais igualdade de gênero dentro e fora dos campos.

E falando de futebol, ao ser perguntada pela ONU News sobre um palpite para a Final da Copa do Mundo entre Croácia e França, marcada para este domingo, na Rússia, Marta respondeu.

Coração

“Estou super fascinada com o que a Croácia vem fazendo na Copa do Mundo. Inclusive, acabei de lançar a minha sexta coluna num jornal inglês falando sobre isso: da questão tática da equipe Croácia, da luta que eles vêm mostrando desde o primeiro momento que que começou a Copa do Mundo. Mas eu acredito... Meu coração está sentindo assim, eu gostaria que a Croácia levasse porque seria a primeira vez que se chegaria à Final e ganhava uma Copa do Mundo. Então o meu coração está pendendo um pouco mais para o lado da Croácia, mas acredito que a França irá ganhar. ”

Embaixadora da Boa Vontade da ONU Mulheres, Marta Vieira da Silva. , by Foto: Mark Thor/Orlando Pride.

Exemplos

A nova embaixadora da ONU Mulheres foi elogiada pela chefe da agência, que disse que Marta é determinada, corajosa e perseverante. Para a atleta, essas são características vitais para meninas e mulheres conseguirem se afirmar na vida e na profissão, e o futebol assim como os esportes em geral oferecem essas ferramentas. Marta disse que teve sorte de ter grandes exemplos femininos em sua vida, a começar pela própria mãe, dona Tereza da Silva.

Sertão

“A principal personagem desta história toda de força de vontade, de perseverança de buscar sempre o melhor foi a minha mãe. Ela teve uma infância muito difícil, ela não chegou a conhecer nem a mãe dela. Depois de anos, ela conheceu meu pai, casou com meu e não deu certo. Ela teve que se virar com quatro filhos, numa cidade muito pequena, no sertão de Alagoas, onde a dificuldade é 10 vezes mais por não ter tanta opção de trabalho. E ela também não conseguiu cursar uma faculdade, ir para a escola. A gente que, aos pouquinhos, foi ensinando ela a assinar o nome e tudo. Mas a força de vontade dela, a perseverança, o esforço dela para criar os filhos com tanta dificuldade, foi o que me motivou a ir em busca de melhoras. Aí, eu vi no futebol, uma oportunidade para mudar de vida e de ajudar minha família, principalmente minha mãe que trabalhou toda a vida para nos sustentar. Então, ela foi o personagem assim de toda essa história. ”

Marta finalizou a entrevista afirmando que o Brasil fez uma boa campanha na Copa do Mundo, mas que a vontade da torcida é sempre vencer.  Mas para ela, no futebol, outras equipes também se dedicam com afinco e acabam conseguindo mais vitórias.

A entrevista na íntegra com Marta Vieira da Silva pode ser encontrada na página da ONU News na internet.

 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud