Aiea encerra estudo para desativar central nuclear de Fukushima

Aiea encerra estudo para desativar central nuclear de Fukushima

Agência refere que o Japão continua a enfrentar vários desafios; instalações foram afetadas pelo terramoto seguido de um tsunami que resultaram numa explosão e fuga de água radioativa.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova Iorque. *   

A equipa de peritos da Agência Internacional de Energia Atómica, Aiea, anunciou o encerramento, esta segunda-feira, da revisão inicial do plano japonês para que seja desativada a central nuclear Fukushima Daichi.

Um relatório preliminar foi entregue ao governo japonês pelo grupo, que deverá divulgar as conclusões finais da visita ao país em um mês.

Operações

A equipa de 13 especialistas inspecionou a área do acidente nuclear e constatou, em primeira mão, as condições e os progressos alcançados até ao momento com vista a pôr fim às operações da central.

O grupo visitou os quatro reatores nucleares e reuniu com autoridades dos Ministérios da Economia e do Comércio e Indústria do

Japão, além de representantes da companhia de eletricidade japonesa, Tepco.

Explosão

Um terramoto seguido de um tsunami provocou a explosão da central e o a fuga de água radioativa no local em março de 2011.

Foi igualmente examinada a estratégia geral do governo japonês, a situação dos reatores e dos reservatórios de desativação de combustível usado. Além disso, foi verificado o acúmulo de água e o nível de radiação por toda a região.

O chefe da equipa e diretor da Aiea, Juan Carlos Lentijo, disse que, apesar dos avanços, o Japão continua a enfrentar muitos desafios para fechar Fukushima, tendo ressaltado que a Tepco conseguiu estabilizar a refrigeração dos reatores.