Aiea disse estar disposta a apoiar segurança nuclear no Irão, após sismo

Aiea disse estar disposta a apoiar segurança nuclear no Irão, após sismo

Agência contactou autoridades do país para dar assistência às fontes radioativas; Secretário-Geral promete acompanhar ação de trabalhadores humanitários e das equipas de busca e salvamento.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A Agência Internacional de Energia Atómica, Aiea, diz que ofereceu os seus bons ofícios ao Irão depois do terramoto que, esta terça-feira, abalou o país.

Em nota, a Aiea manifestou prontidão em ajudar na obtenção de “toda a assistência necessária para garantir a segurança das fontes radioativas que possam ter sido afetadas pelo sismo”, tal como equipamento médico.

Instalações Nucleares

O tremor de magnitude de 7,8 graus na escala Richter ocorreu na região de Sistão va Balochestão, perto da fronteira iraniana com o Paquistão.

Agências noticiosas citam as autoridades paquistanesas apontando para 35 mortos e mais de 150 feridos. Outros milhares de pessoas foram desabrigadas devido à destruição de centenas de casas na cidade de Mashkel e em aldeias vizinhas, indicam os relatos.

Países do Golfo

O sistema de comunicações da região foi destruído pelos tremores que também foram sentidos na Índia e nos países do Golfo Pérsico. De acordo com as agências, especialistas referem que o sismo foi o pior em mais de 50 anos.

O Secretário-Geral das Nações Unidas endereçou condolências às famílias das vítimas e aos Governos e povos dos dois países, tendo reafirmado que a organização estava pronta para ajudar, caso fosse solicitada.

Ban Ki-moon disse que vai continuar seguir as notícias de perto e a forma como os trabalhadores humanitários e as equipas de busca e salvamento têm acesso às áreas afetadas.