Fórum da ONU debate papel da diversidade africana nas eleições

Fórum da ONU debate papel da diversidade africana nas eleições

Com base na realidade que o continente é palco de uma grande variedade social, o encontro procura caminhos para que todos possam ser participantes nas eleições dos seus países.

João Rosário, da Rádio ONU em Lisboa.

O Programa da ONU para o Desenvolvimento, Pnud, a Comissão Económica da ONU para África, ECA, e a União Africana organizam o seu oitavo encontro desta quarta até sexta-feira na capital do Botsuana, Gaborone.

Vários líderes africanos, organizações internacionais e representantes da sociedade civil vão debater a diversidade social de África e como ela pode ser uma condição para o desenvolvimento e para a democracia.

Lusófonos 

O encontro vai ter como foco principal a maximização da participação dos povos africanos de várias origens nas eleições e na elaboração das decisões políticas.

Entre os oradores estão duas presenças lusófonas: o sub-secretário da ONU e secretário-executivo da ECA, Carlos Lopes, da Guiné-Bissau, e o ex-presidente de Cabo Verde, Pedro Pires.

O continente africano alberga uma grande mistura de culturas, etnias, religiões e línguas. Esta reunião pretende chamar a atenção para o envolvimento pacífico e activo de todos os grupos nos momentos eleitorais.

Mulheres e jovens

Os cerca de 250 participantes vão debater os critérios para a realização de eleições credíveis como a paz, o fim da intimidação ou a verificação independente dos resultados.

Por constituirem os grupos mais marginalizados na África Subsaariana, as situações das mulheres e dos jovens vão ter abordagens específicas durante a reunião.