Passar para o conteúdo principal

Ifad financia agricultores pobres da Côte d’Ivoire

Ifad financia agricultores pobres da Côte d’Ivoire

Um projecto de mais de US$ 22 milhões pretende ajudar os agricultores a tirarem mais rendimento das suas terras e levar segurança alimentar a 25 mil pessoas.

[caption id="attachment_208490" align="alignleft" width="350" caption="Projecto que melhorar produção de terras"]

João Rosário, da Rádio ONU em Lisboa.

O Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola, Ifad, vai disponibilizar US$ 22,5 milhões à Côte d’Ivoire, também conhecida como Costa do Marfim, em ajuda para garantir a segurança alimentar e as receitas dos pequenos produtores.

O financiamento tem como alvo particular as mulheres jovens que vivem nas zonas rurais.

Vulnerabilidade

Cerca de dois terços da população da Côte d’Ivoire vivem da agricultura, da floresta e da pesca.

O sector agrícola é responsável por 24% dos produtos para exportação como arroz, o milho, a mandioca, frutas, cacau, madeira e óleo de palma.

Apesar da crescente importância das produções de petróleo e de gás, a economia do país está muito dependente da agricultura. O longo período de conflito interno aumentou a vulnerabilidade da população rural pobre, em particular dos pequenos produtores que não têm acesso a tecnologias, a serviços e aos mercados.

Objectivos

O novo projecto do Ifad pretende criar condições para o desenvolvimento rural sustentável nas regiões de Savanes, no vale de Bandama e em Zanzan, no norte do país.

A acção vai centrar-se na melhoria da produção das terras para aumentar os ganhos dos agricultores, de modo a que possam aceder a sementes de melhor qualidade e a equipamento mecanizado nas alturas das sementeiras e colheitas.

Este projecto é cofinanciado pelo governo da Côte d’Ivoire e vai beneficiar 25 mil agricultores pobres, incluindo mulheres e crianças.