Crise mundial fez mais 40 milhões de famintos (Português para o Brasil)

Crise mundial fez mais 40 milhões de famintos (Português para o Brasil)

Relatório da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, revela que mundo tem agora 963 milhões com fome.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

Um estudo das Nações Unidas sugere que as crises alimentar e financeira lançaram mais 40 milhões de pessoas em situação de fome.

De acordo com o relatório “O Estado da Insegurança Alimentar no Mundo”, da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, este ano registrou 963 milhões de famintos contra 923 milhões, em 2007.

Fertilizantes

A agência da ONU afirma que apesar da redução no preço dos alimentos, a crise não diminuiu em muitos países pobres.

A subida do preço dos fertilizantes e insumos, desde 2006, prejudicou os agricultores, dos países em desenvolvimento, que não puderam expandir a produção.

A FAO informou que a grande maioria dos subnutridos, cerca de 907 milhões, vive nos países em desenvolvimento.

Índia, China e República Democrática do Congo são os que concentram a maior parte da população de famintos.

América Latina

Quase dois terços das pessoas que não têm o suficiente para comer vivem na Ásia.

Já na África Subsaariana, uma em cada três sofre de desnutrição.

América Latina e o Caribe tiveram seu maior sucesso na redução da fome antes do aumento dos preços dos alimentos.

A crise fez subir o número de famintos na região para 51 milhões em 2007.