Ataques contra civis na Somália são preocupantes, diz ONU (Português para África)

Ataques contra civis na Somália são preocupantes, diz ONU (Português para África)

Declaração é do subsecretário-geral de Assistência Humanitária, John Holmes ; trabalhadores humanitários são igualmente alvo de ataques.

João Duarte, Rádio ONU em Nova York.

O subsecretário-geral da ONU para Assistência Humanitária, John Holmes, expressou alarme esta quinta-feira perante o número crescente de vítimas civis na Somália.

Nas suas declarações na sede da ONU em Nova Iorque, Holmes acrescentou que cada vez mais trabalhadores de auxílio humanitário eram igualmente vítimas de violência.

Defesa

Holmes afirma que todas as partes envolvidas no conflito têm obrigação de acordo com a lei internacional de proteger os civis e evitar os ataques indiscriminados.

O subsecretário-geral da ONU para Assistência Humanitária afirma que muitas das vítimas são mulheres, crianças e trabalhadores de auxílio humanitário que não estão directamente envolvidos no conflito.

Num dos incidentes mais recentes, ocorrido no fim-de-semana passado, 20 mulheres que participavam num programa de limpeza das ruas da capital, Mogadishu foram mortas.

Deslocados

Combates na localidade de Beledweyne, próximo à fronteira com a Etiópia provocaram pelo menos 70 mil deslocados.

A Somália enfrenta uma crise humanitária causada por conflitos, seca e aumento nos preços dos bens essenciais. Dados da ONU sugerem que 2,6 milhões de somalis, o equivalente a 35% da população, necessitam de auxílio humanitário.