Situação na Geórgia permanece tensa, diz ONU (Português para o Brasil)

Situação na Geórgia permanece tensa, diz ONU (Português para o Brasil)

Relatórios dos departamentos de Operações de Paz e Assuntos Políticos sugerem que condições humanitárias também pioraram.

João Duarte, Rádio ONU em Nova York.*

Os países-membros do Conselho de Segurança reuniram, na quinta-feira, para debater a situação do conflito na Geórgia.

Segundo representantes dos Departamentos de Política e Operações de Paz da ONU, a tensão permanece alta nas regiões separatistas da Abkházia e Ossétia do Sul.

Preocupação

De acordo com os relatos, as graves condições humanitárias são motivo de preocupação. Milhares de deslocados estão se refugiando em Gori, perto da Ossétia do Sul, que passou a funcionar como zona-tampão.

O diretor da Divisão Europa e América Latina do Departamento de Manutenção das Operações de Paz, Wolfgang Weisbrod-Weber, afirmou que a Missão de Observação da ONU na Geórgia, teria testemunhado movimentos de retirada, em larga escala, das forças russas da Geórgia para o lado da fronteira controlado pela Abkházia.

Postos de Controle

A diretora da Divisão Américas e Europa do Departamento de Assuntos Políticos, Elizabeth Spehar, informou ao conselho que as forças russas haviam estabelecido 18 postos de controle entre Gori e a Ossétia do Sul. E que a medida estaria representando um obstáculo aos esforços humanitários e ao regresso à casa dos deslocados.

Em meados da semana, o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur, instalou cerca de 100 tendas familiares num campo de futebol para abrigar parte dos deslocados na região de Gori.

De acordo com as Nações Unidas, o conflito já provocou pelo menos 160 mil deslocados.

*Apresentação: Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.