Reunião sobre futuro de pântanos

Reunião sobre futuro de pântanos

Primeiro encontro, na América Latina, reúne 700 cientistas de 28 países, em Cuiabá; pesquisadores debaterão sustentabilidade.

Mônica Villela Grayley, Rádio ONU em Nova York.

Começou em Cuiabá, no Mato Grosso, a 8ª. Conferência Internacional sobre Pântanos.

O encontro, que tem o apoio da Universidade das Nações Unidas, reúne cerca de 700 cientistas de 28 países.

Moradores

De acordo com os organizadores, é a primeira vez que o evento ocorre na América Latina.

Entre os temas debatidos estão a proteção das áreas úmidas, gerenciamento sustentável e políticas de pesquisa a médio e longo prazos.

Um dos participantes, o professor da Universidade das Nações Unidas, Paulo Teixeira Sousa Júnior, disse à Rádio ONU, de Cuiabá, que o evento não serve só aos pesquisadores, mas também aos moradores da região.

Informação

“A opinião pública tem sido alertada sobre a importância da preservação dessas áreas úmidas e do Pantanal pelos serviços ambientais que elas nos prestam. E também com seus valores estéticos, no caso do Pantanal, por exemplo, é uma área de beleza cênica indescritível. Então é importante conservar, mas existem outras razões além dessas”, disse.

Segundo a Associação Internacional de Ecologia, Intecol, os pântanos são os ecossistemas mais ameaçados de todo o mundo.

Um dos destaques do evento é a área do Pantanal entre Brasil, Bolívia e Paraguai e a modernização no gerenciamento da zona. A conferência também discutirá mudança climática e ecoturismo.