Seqüestros de crianças no Haiti continuam, diz ONU (Português para o Brasil)

Seqüestros de crianças no Haiti continuam, diz ONU (Português para o Brasil)

Relatório da Minustah revela que violência contra crianças é uma das principais preocupações.

João Duarte, Rádio ONU em Nova York.*

A Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti, Minustah, publicou esta semana um relatório sobre a situação da segurança no país.

O documento revela que a violência contra crianças ainda é uma das principais preocupações.

Tráfico humano

Segundo o relatório, crianças haitianas continuam a ser alvo de seqüestros, tráfico humano, violência sexual e assassinatos.

A Minustah informou que nos seis primeiros meses deste ano 66 crianças foram seqüestradas. Durante todo o ano de 2007 foram registrados 80 casos de seqüestro no país.

O comandante do Batalhão Brasileiro no Haiti, coronel Pedro Antônio Fioravante, disse à Rádio ONU, de Porto Príncipe, que a Minustah aumentou o patrulhamento para ajudar no combate aos crimes.

“O problema dos seqüestros é uma preocupação nossa. Devido aos casos registrados fizemos a intensificação de patrulhas nas áreas mais propícias ao seqüestro, onde havia denúncias de seqüestros. Prendemos alguns seqüestradores que estavam há muito tempo na lista de procurados pela Minustah. E por conta disso, nessas últimas semanas, os casos de seqüestro diminuíram bastante. De um modo geral no Haiti houve um decréscimo pequeno, mas na área de atuação do Brasil a redução foi muito grande, quase que zerando os casos na área específica sob o controle do Brasil”, disse.

O relatório da Minustah afirma que as meninas são o alvo preferido das gangues.

O documento destaca ainda o aumento alarmante dos casos de tráfico de crianças para exploração sexual e trabalho forçado do Haiti para a República Dominicana. Mais de 700 crianças já foram repatriadas pelas autoridades do país nos primeiros cinco meses do ano.

Apresentação*: Eduardo Costa, Rádio ONU em Nova York.