ONU treina jornalistas para zonas de guerra

ONU treina jornalistas para zonas de guerra

Durante uma semana 20 profissionais farão curso sobre áreas de conflito, no Rio de Janeiro.

Eduardo Costa, da Rádio ONU em Nova York.

Começa nesta segunda-feira, o primeiro Curso de Preparação para Jornalistas em Áreas de Conflito, organizado pelas Nações Unidas no Brasil.

O treinamento é promovido pelo Centro de Instrução de Operações de Paz, Ciop, e pelo Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil, Unic-Rio.

Durante uma semana 20 jornalistas, do Brasil e do exterior, serão treinados para atuar em áreas de conflito e cobrir operações de paz da ONU.

Situações de risco

O diretor do Unic-Rio, Giancarlo Summa, falou à Rádio ONU, do Rio de Janeiro, sobre o conteúdo do curso.

"Eles vão participar de uma série de palestras sobre aspectos teóricos como organização da ONU e das missões de paz e depois há uma parte prática, no terreno, que vai desde o reconhecimento de armas, comportamentos que devem ser seguidos em caso do jornalista ser feito refém, o que fazer em campos minados e reconhecimento do terreno. Ou seja, uma experiência teórica e prática", disse.

Os jornalistas experimentarão situações de risco enfrentadas por um repórter numa área de conflito através de simulações em um país fictício, chamado Tudistão, ambientado nas instalações do Ciop, no Rio de Janeiro.

De acordo com a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, o trabalho em áreas de conflito está se tornando cada vez mais perigoso para jornalistas.

Devido a grande procura pelo curso, o Unic-Rio prometeu uma segunda edição para o segundo semestre.