Mudanças climáticas ameaçam ilhas

Mudanças climáticas ameaçam ilhas

O governo da Grécia concedeu cerca de US$ 1,5 milhão para apoiar a Aliança dos Pequenos Estados Insulares.

Jorge Soares, da Rádio ONU em Nova York

Representantes da Aliança dos Pequenos Estados Insulares alertaram a comunidade internacional para a urgência de serem adoptadas medidas no sentido de ajudar as ilhas a enfrentar o aquecimento global.

O alerta foi lançado, na terça-feira, na sede da ONU em Nova York, pelos embaixadores de Granada, Angus Friday, das ilhas Salomão, Colin Beck, e de Cabo Verde, António Monteiro Lima.

Fundos

Eles informaram que o governo da Grécia concedeu €1 milhão de euros, o equivalente a cerca de 1,5 milhão de dólares, para ajudar o grupo.

Alguns membros da aliança estão a considerar a possibilidade de ser criar um fundo global para combater os efeitos do aquecimento global nas ilhas.

O embaixador António Monteiro Lima, falou à Rádio ONU, sobre as preocupações do grupo.

"O que nós queremos é dizer que há urgência no desembolso de financiamento para os projectos de adaptação e de mitigação frente à mudança de clima. Porque há muitas ilhas que, neste momento, são ameaçadas directamente e é a sobrevivência das populações delas que está em causa, a sobrevivência mesmo. Em Tuvalu, por exemplo, há ilhas que, neste momento, estão a desaparecer", disse.

Desertificação

De acordo com o Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática, Ipcc, o nível dos mares tem crescido em cerca de 2 milímetros por ano.

Monteiro Lima disse que a desertificação é o maior efeito das mudanças climáticas cujos efeitos são sentidos em Cabo Verde.

"No ano passado, por exemplo, tivemos a pior época de chuva em 50 anos. Não é só a falta de chuva ou as chuvas que vêm de forma absolutamente desigual, durante o ano, mas também o facto que nós recebemos o pó do deserto cada vez mais. Antigamente, tínhamos dois ou três dias de bruma seca, como nós chamamos lá, e agora mais do que uma semana", afirmou.

A Assembleia Geral das Nações Unidas realiza uma reunião de três dias para discutir as mudanças climáticas e medidas para a preservação do meio ambiente.

O Secretário-Geral, Ban Ki-moon que discursou na abertura dos debates lembrou que o mundo tem menos de dois anos para construir um plano de acção para combater os desafios das mudanças climáticas.