Tribunal da ONU julga Charles Taylor

Tribunal da ONU julga Charles Taylor

Ex-presidente da Libéria é acusado de 11 crimes de guerra e contra a humanidade, cometidos durante conflitos na Serra Leoa, de 1997 a 2002.

O ex-líder africano é acusado de 11 crimes de guerra e contra a humanidade, cometidos durante conflitos na Serra Leoa, de 1997 a 2002.

Charles Taylor, que compareceu à audiência, nega todas as acusações. Entre as acusações estão assassinatos, mutilações, violência sexual, uso de crianças-soldados e exploração indevida do comércio de diamantes.

Diamantes

Uma das testemunhas de acusação desta segunda-feira foi o especialista em venda de diamantes, Ian Smillie, que contou aos jurados como funcionava o comércio da pedra na Serra Leoa.

Smillie disse que tem provas de que aviões, que pertenceriam a traficantes de armas, estariam fornecendo munições aos rebeldes da Serra Leoa.

A promotoria diz que os rebeldes teriam recebido apoio do presidente liberiano, Charles Taylor.

Taylor é o primeiro ex-presidente africano a ser julgado por um tribunal internacional.

Cerca de 144 testemunhas devem ser ouvidas no julgamento que pode durar 18 meses.