ONU lança plano para ajudar vítimas de violações sexuais na Somália

ONU lança plano para ajudar vítimas de violações sexuais na Somália

Várias agências das Nações Unidas lançaram um plano de prevenção contra abusos sexuais, e para ajudar os sobreviventes de casos de violência contra mulheres, na Somália.

Segundo oAcnur, casos de violação sexual estão a aumentar na Somália onde se vive um conflito armado há 16 anos.

O Acnur constata que os criminosos raramente são submetidos à justiça e lembra que o país não possui um governo funcionando regularmente desde 1991.

A agência afirma que muitos casos são resolvidos de acordo com costumes tradicionais em que os culpados pagam compensações materiais aos familiares das vítimas, mas nunca à própria violada.

O técnico do Departamento de Protecção de Crianças, do Unicef, Abubacar Sultan, disse à Rádio ONU, em Nova York, que a agência tem procurado ajudar a reformular as legislações dos países mais afectados.

"A nossa abordagem tem sido, normalmente, no sentido de tentar, por um lado, em locais onde tal é possível, trabalhar ao nível do reforço dos esquemas de protecção do país, através de acções como o reforço da legislação e de aplicação dessa mesma legislação, reforço da capacidade de autoridades, entidades que trabalham directamente com crianças, serviços de aconselhamento e alternativas de protecção a nível comunitário. Em outros casos, quando o acesso é possível, através de grupos comunitários, de autoridades locais, uma intervenção directa relativamente aos focos de principal risco para as crianças e mulheres", disse.

A agência registou relatos de atrocidades cometidas contra deslocados internos no campo de Galkayo, no centro da Somália, onde vivem mais de 50 mil pessoas que foram obrigadas a deixar suas casas devido ao conflito.