África Ocidental está a funcionar como placa giratória de drogas, diz Oice

África Ocidental está a funcionar como placa giratória de drogas, diz Oice

A Organização Internacional de Controle de Estupefacientes, Oice, publicou, nesta quinta-feira, no seu relatório referente a 2006, que Cabo Verde e Guiné-Bissau estão entre os países da África Ocidental por onde transita a maior parte de droga para Europa.

Segundo o Oice, organismo dependente da ONU, os narcotraficantes procuram explorar a fraca capacidade de controlo marítimo dos países da região.

A Oice divulgou um outro estudo onde sugere que o Brasil é o país com o maior número de consumidores de moderadores de apetite.

O país tem uma taxa de uso de 12,5 em cada mil habitantes, duas vezes mais que a dos Estados Unidos que é de 4,9 em cada mil.

O director do Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas da Universidade de São Paulo, Elisaldo Luiz Carlini, disse à Rádio ONU que os moderadores de apetite podem causar problemas cardíacos.

“Aqui no Brasil as pessoas, que tomam essas drogas estimulantes para perder o apetite dizem que o coração está batendo mais do que deve, com taquicardia. Dependendo da droga, há efeitos diferentes. Todas elas têm inconvenientes de uso e, portanto, devem ser prescritas e utilizadas com muito cuidado, onde nós ponderamos e vemos se os benefícios que ela dará serão maiores que os possíveis malefícios. Por isso, a droga deve ser administrada com cuidado”, explicou.

De acordo com o estudo, existe uma preocupação de que o alto nível de consumo do produto no país possa levar ao abuso do medicamento.

Além do Brasil, Argentina, Coreia do Sul e Estados Unidos registaram altas taxas de consumo.

O relatório anual da Organização Internacional de Controle de Narcóticos também alertou para o comércio internacional de medicamentos falsificados.

Segundo o estudo, mais de 50% das drogas consumidas em países em desenvolvimento são adulteradas.