Luis Aqueu, 20/02/07

Luis Aqueu, 20/02/07

O encarregado de comunicação das Nações Unidas em Moçambique fala do apoio que a ONU tem dado ao governo local para assistir as vítimas das inundações.

Várias agências humanitárias das Nações Unidas pediram ao Fundo Central da ONU para Respostas de Emergência, uma ajuda de US$ 9 milhões para socorrer vítimas das enchentes em Moçambique.

Segundo a ONU, mais de 120 mil pessoas foram forçadas a deixar suas casas devido as cheias que afectam o país, desde Dezembro.

O encarregado de comunicação das Nações Unidas em Moçambique, Luís Aqueu, explicou à Rádio ONU, de Maputo, o apoio dado ao governo local até o momento.

“O governo formalmente está a trabalhar com as Nações Unidas e as Nações Unidas estão a formular um pedido oficial ao Fundo de Emergência da ONU.

Este pedido é feito com base nas necessidades do governo, a ser feito pelas organizações não-governamentais humanitárias em Moçambique, que também estão a trabalhar com as agências das Nações Unidas”, disse.

Aqueu afirma que as cheias deste ano são piores que as ocorridas em 2000 e 2001. Na época, 700 pessoas morreram e pelo menos 500 mil ficaram desabrigadas.

Segundo a previsão da meteorologia, Moçambique pode sofrer ainda a passagem de um ciclone tropical, nesta terça-feira, com ventos de até 300 km/hora, deve atingir a costa do centro do país.