Uhuru Kenyatta

TPI rejeita pedido para adiar caso do presidente Uhuru Kenyatta

Juízes querem que procuradoria defina se as acusações serão retiradas ou se o processo segue para julgamento; líder queniano nega as acusações do Tribunal ligadas à violência pós-eleitoral.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Áudio -

TPI rejeita pedido para adiar caso do presidente Uhuru Kenyatta

No Quénia, Ban apoia plano para rede de transporte sustentável em África

Ministros de 42 países adotam medida com vista a reduzir emissões de gases de efeito estufa e promover o uso de transportes não-motorizados; em Nairobi, índice de poluição do ar chega a ser sete vezes maior do que o recomendado pela OMS.

Áudio -

No Quénia, Ban apoia plano para rede de transporte sustentável em África

Presidente do Quénia presente na audiência de Tribunal Penal em Haia

Uhuru Kenyatta é acusado de crimes contra a humanidade que resultaram da violência pós-eleitoral entre 2007 e 2008 no país africano, mas nega as acusações.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Áudio -

Presidente do Quénia presente na audiência de Tribunal Penal em Haia

TPI sem registos da participação de presidente queniano em negócios

Procuradores querem busca baseada no nome de Kenyatta e a sua participação em empresas e instituições corporativas; Quénia diz ter dificuldades de procurar informação manual; julgamento sobre alegada participação do líder na violência pós-eleitoral inicia em outubro.

Áudio -

TPI sem registos da participação de presidente queniano em negócios

TPI intima oito testemunhas para julgamento de vice-presidente do Quênia
BR

Tribunal, com sede em Haia, diz que governo do país africano tem obrigação de acatar decisão; William Ruto nega acusações de organizar violência étnica após as eleições de 2007 que matou mais de mil pessoas.

Áudio -

TPI intima oito testemunhas para julgamento de vice-presidente do Quênia
BR

Tribunal, com sede em Haia, diz que governo do país africano tem obrigação de acatar decisão; William Ruto nega acusações de organizar violência étnica após as eleições de 2007 que matou mais de mil pessoas.