tortura

Especialista da ONU apresenta relatório sobre tortura no Brasil
BR

No documento, Juan Méndez  fala em “racismo institucional” do sistema carcerário e superlotação nos presídios; em entrevista à Rádio ONU, secretário especial de Direitos Humanos do Brasil, falou que “as recomendações da ONU tem sempre o país a melhorar mais as suas políticas públicas”.

Áudio -

Especialista da ONU apresenta relatório sobre tortura no Brasil
BR

Comissão contra a Tortura faz recomendações à China
BR

Após avaliar a situação no país, especialistas da ONU defendem que qualquer autoridade possa ser julgada por ter cometido tortura; grupo de direitos humanos muito preocupado com detenção de mais de 200 advogados e ativistas.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

Áudio -

Comissão contra a Tortura faz recomendações à China
BR

Peritos da ONU falam em enormes desafios contra a tortura no Brasil
BR

Especialistas em direitos humanos encerraram visita de 12 dias ao país; eles notaram que prisões continuam superlotadas e condições de detenção são muitas vezes chocantes; muitos presos estão em situação “sub-humana”.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

Áudio -

Peritos da ONU falam em enormes desafios contra a tortura no Brasil
BR

Relator lembra governos que tortura é proibida em operações militares
BR

Juan Méndez destaca que direitos humanos devem ser protegidos mesmo durante intervenções em outros países; medidas extraterritoriais incluem uso da força na ocupação de áreas estrangeiras e operações anti-migração.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

Áudio -

Relator lembra governos que tortura é proibida em operações militares
BR

Padrões mínimos de tratamento de prisioneiros são revisados após 60 anos
BR

ONU apresenta aos países as “Regras Nelson Mandela”, sobre direito dos detentos a cuidados de saúde; solitária por mais de 15 dias é vista como “tortura” e são feitas orientações sobre as revistas a visitantes de presídios.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

Áudio -

Padrões mínimos de tratamento de prisioneiros são revisados após 60 anos
BR