remessas

Remessas de 200 milhões de migrantes melhoram vida de 800 milhões de familiares

Nações Unidas marcam Dia Internacional das Remessas de Família neste 16 de junho; metade dos fundos vão para áreas rurais, onde a pobreza e a fome estão concentradas; remessas podem representar 60% do orçamento familiar.

Pela primeira vez, ONU marca Dia Internacional das Remessas de Família

Migrantes enviaram US$ 481 bilhões para casa em 2017; valor equivale a mais que o triplo do valor da ajuda ao desenvolvimento dado a cada ano.

Migrantes devem enviar cerca de US$ 6,5 biliões para casa em 15 anos

Migrantes devem enviar cerca de US$ 6,5 biliões para casa em 15 anos

ONU acolhe Fórum Global sobre Remessas, Investimentos e Desenvolvimento 2017 para estimular parcerias; evento quer maior envolvimento entre setores público, privado e sociedade civil.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque. 

Áudio -

Remessas de migrantes são-tomenses tiveram maior aumento entre lusófonos

Remessas de migrantes são-tomenses tiveram maior aumento entre lusófonos

Relatório regista crescimento quase sete vezes maior em 10 anos; Timor-Leste, Moçambique e Cabo Verde ocupam lugares seguintes; índice decresceu no Brasil e na Guiné-Bissau; Fida preocupada com exclusão de milhões de famílias do sistema financeiro formal.

Áudio -

Valor enviado por migrantes cresce mais da metade em uma década
BR

Valor enviado por migrantes cresce mais da metade em uma década
BR

Fida revela que receitas de migrantes envolvem mais de um em cada sete habitantes do planeta; 200 milhões de trabalhadores migrantes apoiam cerca de 800 milhões de famílias.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.*

Áudio -

Africanos devem movimentar até US$ 80 mil milhões em receitas em 2020

Africanos devem movimentar até US$ 80 mil milhões em receitas em 2020

Peso dos valores enviados pelos migrantes ultrapassa 10% do PIB em Cabo Verde; famílias do continente podem receber mais US$ 5 mil milhões por ano com a descida das despesas de envio nos próximos 14 anos.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Áudio -