Paz e Segurança

ONU volta a apelar ao fim de ataques em Cote d’Ivoire, refere Ban

Secretário-Geral refere que a Unoci vai prosseguir a monitorização e documentação de violações que possam ocorrer naquele país da África Ocidental.

Ban apela o presidente Gbagbo a deixar o poder em Cote d’Ivoire

Secretário-Geral da ONU alerta que qualquer ataque contra as forças de manutenção da paz da organização é um ataque à comunidade internacional.

Quarteto para Oriente Médio se reunirá no início do ano
BR

Em entrevista a jornalistas, em Nova York, Ban Ki-moon diz que Israel deve congelar a construção de assentamentos, incluindo em Jerusalém Oriental; ele afirmou que a ONU vai priorizar melhorias de vida em Gaza.

Acnur pede a países que não repatriem cristãos do Iraque

Agência diz estar desapontada com o retorno de um grupo de 20 iraquianos nesta quarta-feira, pela Suécia; situação se mantém perigosa no país árabe para minorias religiosas.

Número de refugiados marfinenses aproxima-se dos 5 mil

Segundo o Acnur não há planos imediatos para estabelecer campos de refugiados; Conselho de Segurança preocupado com tiroteios em Abidjan.

África Ocidental com novo impulso no combate ao narcotráfico

Agências internacionais apostam em conter novas tendências do narcotráfico de forma abrangente e integrada

Unoci reitera apelo à calma em Cote d'Ivoire após violência

Forças de segurança e manifestantes envolveram-se em combates na capital, Abidjan.

Coordenador sugere ‘mudança de estratégia’ para Oriente Médio
BR

Em discurso ao Conselho de Segurança, Serry destaca que meta é encontrar uma solução que seja satisfatória para palestinos e israelenses com a proposta de dois Estados, um palestino, e um judaico, vivendo lado a lado pacificamente.

Acnur chocado com mortes de migrantes na Austrália
BR

Segundo agências de notícias, 27 corpos já foram resgatados após barco com dezenas de pessoas ter afundado perto da Ilha de Natal.

Tribunal intima seis por violência pós-eleitoral no Quênia
BR

Pedido do Tribunal Penal Internacional inclui nomes de dois ministros de Estado e um radialista; segundo Moreno Ocampo, há indícios de que o grupo teria orquestrado confrontos que mataram mais de 1 mil pessoas após votação de 2007.