mutilação genital feminina

Guiné-Bissau em sessão do 10º aniversário do Conselho de Direitos Humanos

Guiné-Bissau em sessão do 10º aniversário do Conselho de Direitos Humanos

País de língua oficial portuguesa participa pela primeira vez como observador do evento, que vai até 1 de julho; São Tomé e Príncipe é outra nação lusófona também presente pela primeira vez.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Áudio -

Entrevista: Guiné-Bissau pela primeira vez no Conselho de Direitos Humanos

Entrevista: Guiné-Bissau pela primeira vez no Conselho de Direitos Humanos

País está observando a sessão do órgão que completa 10 anos. Segundo secretário da Missão da Guiné-Bissau junto às Nações Unidas diz à Rádio ONU que das 13 convenções e protocolos de direitos humanos, a Guiné-Bissau ratificou 10.

Áudio -

OMS lança guia para ajudar mulheres vítimas de mutilação genital
BR

Agência da ONU afirmou que mais de 200 milhões de mulheres e meninas sofrem desse problema que atinge 30 dos 54 países na África; organização diz que mutilação genital causa danos graves à saúde e viola direitos.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

Áudio -

OMS lança guia para ajudar mulheres vítimas de mutilação genital
BR

Com migração em alta, mutilação genital feminina vira questão global de saúde

Com migração em alta, mutilação genital feminina vira questão global de saúde

Problema é crónico em 30 nações africanas e OMS lança novas recomendações para todos os países do mundo; meta é garantir que trabalhadores de saúde saibam reconhecer e tratar condição de forma adequada.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Áudio -

Mutilação genital feminina a crescer na Guiné Conacri

Mutilação genital feminina a crescer na Guiné Conacri

Informação está em relatório do Escritório de Direitos Humanos da ONU; segundo o documento, 97% das mulheres e meninas com idades entre 15 e 49 anos no país passaram por mutilação genital feminina ou excisão.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

Áudio -